logo
17/12/2018 23:22 (93 dias atrás)
Em temporada impecável, alagoano Alen Fillipi é Campeão Nordestino de Poker.

E após passar a maior parte da temporada na liderança do ranking, Alen Fillipi, alagoano de União dos Palmares, confirmou o título de Campeão Nordestino de Poker 2018. 


A temporada começou com o título do Main Event no NPS Recife, além de uma mesa final do High Roller e ITM no OnFire. Apesar da excelente etapa, Alen não largou na liderança, que seria alcançada pela primeira vez em Fortaleza, após conquistar 6 ITMs, com direito à 3 mesas finais e o título do PL Omaha K.O.


Em João Pessoa, 3 ITMs com 2 mesas finais e Alen se manteve novamente na ponta, ganhando a companhia que teria até o final de Guilherme Chenaud. Em Natal, apesar de não levar nenhum título, Alen acumulou 5 mesas finais, se mantendo na ponta.


A única etapa em que perdeu a liderança, desde que assumiu pela primeira vez em Fortaleza, foi em Recife. 1 título em 2 mesas finais não foi suficiente para se manter na ponta, sendo ultrapassado por Chenaud.


Em Fortaleza, uma montanha russa que começou com o 3º lugar no OnFire, reassumindo a liderança. No dia seguinte, Guilherme Chenaud cravou o High Roller e mesmo fazendo mesa final do Turbo Knockout, novamente Alen ficou atrás do baiano. Com um sprint final impressionante, Alen Fillipi alcançou a mesa final do Main Event, terminando em 3º, deixando a tarefa para Guilherme Chenaud praticamente impossível, já que teria que ganhar os dois últimos torneios da série, jogando simultaneamente.


Bons amigos, Alen recebeu a noticia do próprio Chenaud que era Campeão Nordestino e pode comemorar o feito alcançado. Ao total foram 22 ITMs, com 15 mesas finais e 3 títulos (Main Event, Omaha K.O. e PL Omaha).


Após a festa, Alen conversou com o infoPoker. Confira:


Como surgiu o desejo de ser Campeão Nordestino? Houve um planejamento?


“Não esperava ser campeão. Comecei a jogar o NPS ano passado, tive sorte de ficar em segundo no Main Event. Antes nem viajava para jogar, comecei a viajar. Só de ver Foster, ter o prazer de jogar com eles, era muito bom. Hoje jogo, faço mesa final e está todo mundo na torcida. No ranking, o Chenaud foi um grande adversário, colocou muita pressão. Sempre que eu chegava ele chegava também. Foi muito gratificante.”



Com apenas você e Chenaud na disputa, muitos jogadores do Circuito revelaram suas torcidas. Como foi essa relação nas mesas?


"É até estranho. Pessoal mandava mensagem no Instagram, ai as vezes nem lembrava, mas já tinha jogado com eles nas mesas. No ano passado quem torcia era eu, para meu amigo Wilder, dessa vez quem tinha a torcida era eu. Tem aquela tensão de pegar ITM, pontuar, mas acabou dando tudo certo"


A disputa do ranking influenciou de alguma forma nos seus resultados?


“O ranking ajuda muito. Tem o lado positivo, já que você está pressionado para ganhar, então tem que jogar focado, acertar todas as mãos, não jogar o torneio fora. Se eu perco um ponto, posso ficar para trás, então ajudou muito o ranking para conseguir essa mesa final no Main Event”


Como foi ser ultrapassado pelo Chenaud na penúltima etapa?


“Fiquei mal, frustrado, mas estava confiante. Lembro de ter falado no começo do ano que esse ano era meu, que ia cravar. Hoje veio a conquista”


Quais são os planos para 2019?


"Brinquei com o pessoal ali, Campeão Pernambucano em 2017, Nordestino em 2018, próximo ano vai ser Nacional (risos). Já fico feliz de ter meu nome na história do poker Nordestino, entrar no grupo do whatsapp do Aguiar e do Wilder, minha chavezinha do Corola, já estou satisfeito"


Como vai ser a comemoração?


"Tomar umas com os amigos até amanhecer".


Pelo título, Alen Fillipi levou um Toyota Corola 0km, avaliado em R$ 84 mil. Guilherme Chenaud ficou em segundo, enquanto o potiguar Sanderson Lélis completou o pódio. Ambos foram premiados pela organização.